Homossexualidade no Festival Internacional de Cinema

Por Alexandra Martins

Homossexualidade no Festival Internacional de Cinema

Homossexualidade no Festival Internacional de Cinema

Costumo dizer que Brasília no segundo semestre ferve quando se trata de cinema. Este ano parece que o calor aumentou alguns graus. Não apenas por causa da alta temperatura que a cidade tem passando, mas também pela enorme quantidade de festivais de cinema e animação que temos recebido. Novembro mal chegou e já temos a previsão de dois festivais pela frente: Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e o Festival Internacional de Cinema (FIC). Haja pipoca!

O último começa hoje e vai até domingo, dia 09/11. Como uma boa cinéfila já fiz a minha programação e pude destacar alguns trabalhos sobre homossexualidade que parecem ser bem interessante e atuais como o filme francês Baby Love que conta a história de um pediatra homossexual que tenta adotar uma criança ou encontrar uma mãe de aluguel. Leia mais sobre o filme na coluna do Celso Faria.  A complexa relação entre o islã e a homossexualidade em países como Paquistão, Egito, Turquia, França, Índia e África do Sul pode ser vista através do documentário A Jihad for Love.

Na mostra de curtas “Jovens Heróis” vale destacar o mini-documentário sobre transexualidade, O dia em que decidi ser Nina, que mostra a história de Guido. Um menino de 11 anos que não gosta de futebol e prefere bater papo com as meninas. Na realidade, sente-se como uma menina e chega o dia em que decide ser Nina.

É importante ressaltar que o FIC sempre apresenta trabalhos super interessantes e de vanguarda. No ano passado a ficção argentina XXY, que trata da intersexualidade (vulgarmente conhecida como hermafroditismo) estava na mostra.

No Brasil a discussão a sobre intresexualidade dentro do movimento LGBTT é bem recente. Tivemos na Conferência GLBT um representante do movimento de interesexuais da Argentina, Mauro Cabral, que falou sobre o tema, as dificuldades e como el@s têm se organizado. Não deve ser atôa que o filme XXY veio da Argentina. Mais uma vez a arte imita a vida.

Para mais informações sobre horários do FIC clique aqui.
FIRST LOVE
Japão, 2007, 96 min, cor, drama
Tadashi é um estudante tímido, apaixonado pela colega Kota. Deprimido, encontra um fascinante casal gay no metrô.

BABY LOVE
França, 2008, 90 min, cor, comédia
Pediatra homossexual tenta adotar uma criança ou encontrar uma mãe de aluguel.

A JIHAD FOR LOVE
EUA/Reino Unido?França/Alemanha/Austrália,2007,81min, cor, documentário
A complexa relação entre o islã e a homossexualidade em países como Paquistão, Egito, Turquia, França, Índia e África do Sul.

LA LEON
Argentina/França, 2007, 85min, P&B, drama
Álvaro vive só no delta do Rio Paraná. Sua homossexualidade agrava seu isolamento, devido ao preconceito do vizinho.

Mostra Jovens Heróis – EMERGIDO
Holanda, 2003, 15min, cor, documentário
Kristopher tinha 11 anos quando descobriu sua homossexualidade e um dia se revela aos colegas e à família.

Mostra Jovens Heróis – O DIA EM QUE DECIDI SER NINA
Holanda, 2000, 15 min, cor, documentário
Guido, de 11 anos, não gosta de futebol e prefere bater papo com as meninas. Na realidade, sente-se como uma menina e chega o dia em que decide ser Nina.

Anúncios

The URI to TrackBack this entry is: https://sapatariadf.wordpress.com/2008/10/29/homossexualidade-no-festival-internacional-de-cinema/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: